Entre nós

Que legado pretendemos deixar para as próximas gerações?

Por Sarah Nigri, secretária geral da Aliança Bíblica Universitária do Brasil

“Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: Alegrem-se! Seja a amabilidade de vocês conhecida por todos. Perto está o Senhor.” - Filipenses 4:4-5

Não sei quanto a vocês, mas eu sempre gostei da alegria e da comunhão que experimentamos nas festas e encontros de família! Cresci rodeada de primos, tios, avós e outras pessoas queridas. Agora que moro longe de muitos deles, volta e meia percebo que estou relembrando aqueles momentos especiais, quando diferentes gerações se reuniam para rememorar as histórias, colocar a conversa em dia, se abraçar bem apertado e dar as boas vindas aos “novos membros” que, com o passar do tempo, chegavam e se somavam à família!

Em meados de junho, tive o enorme prazer de reviver muitas dessas emoções ao participar do Encontro de celebração dos 60 anos da ABUB (E60) no Acampamento Memorial, em Campo Limpo Paulista (SP). A atmosfera era de festa, gratidão e esperança! Os sentimentos compartilhados pelos participantes eram muito semelhantes aos que vêm à tona nesses “grandes encontros de família” e por todos os lados havia pessoas sorrindo, se abraçando, conversando e se cumprimentando. Durante quatro dias tivemos a oportunidade de ouvir lindas histórias e testemunhos inspiradores de pessoas que, com suas vidas e serviço sacrificial, ajudaram a construir as bases do trabalho missionário estudantil no Brasil. Também pudemos conhecer iniciativas e projetos desenvolvidos pelas novas gerações de estudantes e profissionais que, com muita criatividade e alegria, permanecem comprometidos com a proclamação e a vivência do Evangelho nas universidades e escolas do nosso país.

Celebramos os 60 anos da Aliança Bíblica Universitária do Brasil com sorrisos e lágrimas, pois sabemos que a história da missão estudantil possui capítulos alegres e festivos, mas também momentos de crise, dor, perdas e dificuldades. Por isso, neste encontro, estudamos a carta do apóstolo Paulo aos Filipenses e refletimos sobre a importância de aprendermos o “segredo do contentamento” em toda e qualquer situação. A cada manhã, éramos desafiados a olhar para o passado com gratidão, para o presente com confiança e para o futuro com esperança no cuidado e soberania de Deus sobre as nossas vidas e sobre a missão estudantil.

Fomos lembrados de que os profissionais e estudantes que nos antecederam neste ministério enfrentaram desafios, muitos passaram necessidades e suportaram carências, e todos precisaram aprender a ser dependentes do Senhor para prosseguirem em sua caminhada e em sua vocação no Reino de Deus. Da mesma forma, as atuais gerações precisam exercitar a perseverança e buscar em Cristo sabedoria e discernimento para seguir em frente, respondendo aos desafios destes novos tempos.

No encontro de celebração dos 60 anos da ABUB, aprendemos e nos emocionamos com os relatos e testemunhos de coragem e serviço dos irmãos e irmãs que nos antecederam e, como nós, viveram momentos desafiadores na missão estudantil: momentos de polarização política, ruptura democrática, escassez de recursos financeiros para a missão, conflitos entre regiões e grupos, crise de identidade, etc. Mas o Senhor levantou lideranças e deu-lhes ânimo, humildade, criatividade e coragem para atuarem como agentes de reconciliação e buscarem a unidade em meio à diversidade e às adversidades.

Ao ouvirmos os depoimentos daqueles que nos antecederam na história da ABUB, somos convidados a olhar para a nossa própria história hoje e para o trabalho que temos desenvolvido nas escolas e universidades do Brasil. O que nos “move” e nos encoraja a prosseguir, como movimento estudantil cristão? Como podemos anunciar a esperança de Cristo em meio às crises que vivemos em nossos dias? Que diferença podemos fazer, como cristãos e servos, no contexto de incertezas e instabilidade em que estamos inseridos?

É preciso lembrar que, como ministério estudantil, nosso chamado é para sermos agentes de reconciliação nas escolas e universidades e para anunciarmos a esperança que há em Cristo Jesus. Portanto, não podemos olhar de forma passiva e omissa o atual cenário da educação no Brasil. Vivemos uma séria crise financeira nas universidades públicas, queda nos investimentos em educação e pesquisa, desvalorização dos profissionais que atuam na área do ensino, redução do número de bolsas de iniciação científica e pós-graduação, descaso do poder público diante das necessidades e carências do ensino médio, dentre muitos outros problemas que afetam diretamente o campo da educação brasileira que, para nós, representa o nosso campo de missão, a partir de onde atuamos como missionários.

Ao olhar para os nossos “pais e mães”, na comunidade da ABUB, e para a herança que nos foi deixada, indagamos: Que legado esta geração deseja construir? O que tem pautado as iniciativas nos grupos locais? Onde e como os estudantes e profissionais da missão estudantil têm investindo suas energias, recursos e esforços? O que tem mobilizado e tocado os corações? Em tempos de polarização política, falta de diálogo e cada vez menos habilidade para conviver com as diferenças, que tipo de testemunho temos dado? Estamos atuando como agentes de reconciliação e promotores da esperança em nosso contexto?

Não é possível alcançar a reconciliação em nossos relacionamentos e relações sem que haja arrependimento, humildade, reconhecimento do pecado e disposição para mudar. Esse processo, algumas vezes, passa pelo confronto, pela denúncia do erro e pela exortação. Mas tudo isso precisa ser feito em amor, compaixão, paciência e perseverança, afinal, em Cristo somos uma família que deve aprender a perdoar, acolher e amar de forma sacrificial.

Oro para que o Senhor nos conduza pelos próximos 60 anos, sempre em seus caminhos e debaixo de sua graciosa soberania. Que ele renove diariamente o nosso entusiasmo para servir, fortaleça a nossa confiança para prosseguir e inunde de amor e compaixão os nossos corações. E que a cada celebração tenhamos a oportunidade de nos emocionar, estreitar nossos vínculos como família e nos alegrar sempre. Amém!

“Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus.” - Filipenses 1:6

Também leia neste Entre Nós:

Representantes da ABS, ABU e ABP fizeram uma carta para esta geração
Reportagem mostra perfil do estudante e do nosso campo missionário
Como a herança de um diretor da ABUB abençoou gerações do grupo de Campinas (SP)
O que a experiência na governança do movimento estudantil ensina sobre mordomia
(Quase) sempre nos bastidores: histórias de Rute Silveira
Customizado por diversos estudantes, conheça a história do logo original da ABUB

Nenhum Comentário

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
O teste abaixo serve para verificar se você é um ser humano e para prevenir submissões automáticas de spam.