Intercessor

Em casa, comprometidos com a missão

"Vê, porém, que hoje somos escravos, escravos na terra que deste aos nossos antepassados para que usufruíssem dos seus frutos e das outras boas coisas que ela produz. Por causa de nossos pecados, a sua grande produção pertence aos reis que puseste sobre nós. Eles dominam sobre nós e sobre os nossos rebanhos como bem lhes parece. É grande a nossa angústia! Em vista disso tudo, estamos fazendo um acordo, por escrito, e assinado por nossos líderes, nossos levitas e nossos sacerdotes." - Neemias 9:36-38 (NVI)

Desde 14 de junho quase 700 pessoas estão estudando junto com a Aliança Bíblica Universitária do Brasil (ABUB) os textos de Esdras e Neemias. No Curso de Formação Missionária imergimos neste chamado de retornar à casa num contexto de crise, assim como o povo de Judá retornou após o exílio. Como podemos servir ao Senhor na nova realidade? Como podemos confiar no Deus soberano mesmo quando a situação não é favorável?

Em Neemias 9 e 10 vemos o povo unido, confessando seu pecado ao Senhor e fazendo um acordo: obedecê-lo em tudo. Na nova realidade da nova Israel, o povo só vê uma saída: seguir a Deus de todo o seu coração e transformar suas atitudes. Eles poderiam adaptar-se à situação de vassalos, apropriar-se da cultura do reino que os governava, e assim lucrar: vender no sábado, casar seus filhos com pessoas que teriam condições e influência melhores.

Mas, com a ajuda de Neemias e Esdras, eles se lembraram de como chegaram naquela situação, recordaram a promessa de um Deus que nunca falha e decidiram renovar seus votos ao Deus misericordioso. Os frutos daquela terra só poderiam ser de fato usufruídos por um povo obediente, justo, que transmitisse em suas ações o caráter amoroso e fiel de Deus. Um povo que continuasse respondendo ao chamado.

Campo de missão: casa?

A maioria dos estudantes envolvidos na ABUB estão fechados em suas casas. Algumas universidades confirmaram que 2020 não terão aulas presenciais. Como missão estudantil, como podemos continuar respondendo ao chamado de Deus neste novo contexto? Foi para responder esta pergunta que os obreiros da região Minas Gerais organizaram o Curso de Formação Missionária, que depois tornou-se nacional. Esta é nossa primeira grande oportunidade de fornecer formação em missão para os nossos estudantes-missionários desde o início da pandemia.

São planos de leitura bíblica, meditações diárias, exposições bíblicas, palestras, entrevistas, oficinas, mesas redondas e grupos de oração que acontecerão até o dia 11 de julho. Temos recebido retornos muito positivos e uma participação excelente. Vemos os estudantes se alimentarem da Palavra e capacitarem-se para atuar como missionários entre seus colegas, e isso nos alegra imensamente! É o cumprimento de parte de nossa missão e visão.

Mas e depois do curso? Como os participantes impactarão suas escolas, universidades, locais de trabalho, igreja e sociedade? Nos preocupamos com a concretização da ação missionária dos estudantes. Confessamos nosso pecado de, às vezes, buscarmos conhecimento demais, e esquecermos da prática! Por isso queremos, como comunidade, nos comprometermos com Deus em responder ao seu chamado evangelizando e servindo nossos colegas.

Vamos fazer este acordo?

  • Peçamos juntos perdão ao nosso Deus! Não apenas por negligenciarmos muitas vezes a missão, mas também por nossa sociedade. Há tantos pecados que cometemos enquanto nação! Façamos o exercício de identificá-los e confessá-los, lembrando que nosso Deus é misericordioso.
  • Ore conosco para que a formação semeie e os participantes do Curso de Formação Missionária deem frutos e continuem a viver de maneira obediente ao nosso Senhor, continuando a missão e impactando seu contexto ao refletirem o caráter de nosso Deus em suas ações. Que nosso Deus possa nos dar coragem e ideias criativas, possa mostrar quem ele quer alcançar, quais colegas precisam de ajuda e serviço neste momento. Que, capacitados, possamos todos nos comprometermos a agir.
  • Interceda por cada um dos participantes do Curso de Formação Missionária. Que aqueles que não conheciam a missão estudantil e são estudantes possam sentir o chamado de atuar em suas escolas e universidades. Que aqueles que estavam desanimados recebam um "novo gás" para o trabalho. Que aqueles que estavam apáticos tornem-se ativos. Ore para que Deus console os abatidos, fortaleça os exaustos e nos una como um só povo comprometidos com sua missão.