Intercessor

junho de 2019

Mesmo sendo poucos os grupos...

…nos alegraremos em Deus – interceda pelas menores regiões

É muito comum vermos o crescimento de números e a realização de projetos exuberantes como bênçãos de Deus. Sabemos que ele nos guia e somos gratos por usar-nos em sua missão quando nossa figueira está cheia de flores. Mas e quando não está, lembramos de louvá-lo e de alegrar-nos nele?

A Aliança Bíblica Universitária do Brasil (ABUB) é dividida em sete regiões e cada uma tem sua realidade distinta. Neste Intercessor, queremos convidá-lo a orar pelas menores regiões, agradecendo a Deus por elas. As regiões com menos grupos locais ativos são a Centro-Oeste (7), Sul (7) e Norte (9) (números do início de 2019), sendo estas três também as que possuem menos grupos por quilômetros quadrado. Orando mais uma vez a partir de Habacuque, vemos a realidade desses locais e nos alegramos em Deus, pois sabemos que ele é o Senhor da missão e dele dependemos!

"Mesmo não florescendo a figueira
e não havendo uvas nas videiras,
mesmo falhando a safra de azeitonas
e não havendo produção de alimento nas lavouras,
nem ovelhas no curral,
nem bois nos estábulos,
ainda assim eu exultarei no Senhor
e me alegrarei no Deus da minha salvação.
O Senhor, o Soberano, é a minha força;
ele faz os meus pés como os do cervo;
faz-me andar em lugares altos.
"
- Habacuque 3:17-19a (NVI)

Poucos frutos, muita certeza

No salmo de cordas composto por Habacuque, o profeta finaliza sua reflexão sobre a situação do povo de Judá e a resposta que Deus promete enviar, a Babilônia. Judá, na época, vivia da economia agrícola e, com a invasão iminente, a terra, da qual o povo dependia, ficaria infrutífera. Encarando o futuro devastador, Habacuque volta seus olhos para a única dependência que ele deve ter: Deus. As dúvidas e as dificuldades não impediram Habacuque de louvar, de alegrar-se no Senhor. Ele podia perder tudo, mas seu relacionamento com o Deus da sua salvação se manteria intacto, e isso o sustentava.

Uma das características do movimento estudantil é que os próprios grupos se encorajam entre si, fornecendo treinamento para novos interessados e catalisando o crescimento e o amadurecimento de cada grupo e da região como um todo. O protagonismo estudantil faz com que a missão nas escolas e universidades não dependa de obreiros, que trabalham para formar os líderes estudantis, mas possa seguir nas mãos dos próprios estudantes.

Quando há menos grupos locais e distâncias tão grandes entre estes, é mais difícil para os grupos começarem, crescerem e se fortalecerem. Entre os grupos da ABU Cuiabá (MT) e ABU Cacoal (RO), para tomar a região Centro-Oeste como exemplo, há 980 km de estrada sem nenhum outro grupo.

Não cremos que estas regiões estão menores por definição divina, como era a situação de Habacuque, mas devemos voltar nossos olhos para o Deus da nossa salvação, lembrarmos que dependemos apenas dele e, mesmo em meio às dificuldades, crer que ele nos fará "andar em lugares altos".

Exulte conosco:

  • Ore pela região Norte. Sem obreiro, o desafio de contornar a distância se torna mais complicado para os estudantes. As passagens dentro da região são muito caras e algumas viagens muito longas, dificultando o deslocamento. No entanto, o veterinário e teólogo Rui Lima, de Teresina (PI), está em processo de mobilização de recursos para entrar como obreiro. Interceda pelo fortalecimento da região e pelo levantamento dos doadores necessários. De acordo com Natan de Castro, secretário adjunto de formação da ABUB, "o próximo passo para a região é orar por grupos maduros e estáveis (com renovação de liderança no tempo certo) em cada capital. A partir desses será possível avançar para estabelecer grupos no interior".
  • No outro extremo do Brasil, apresente a Deus a região Sul. O obreiro Thiago Rodgers contou que "é desafiador quando, além de não vermos a figueira florescer, temos a sensação de que a figueira está murchando. Acho que na nossa região, especialmente os líderes, corremos o risco de nos contaminar com essa percepção". Ele pede intercessão para que mantenham em foco a presença de Deus, vendo a missão pelos olhos dele. Pede também por apoio aos grupos presentes e novos, e agradece pelas oportunidades, como o Curso de Férias. "Um outro pedido, é que possamos fazer uma boa transição da liderança regional", cujo mandato termina no próximo semestre.
  • Ore pela região Centro-Oeste. A obreira Jéssica Kelly pede intercessão pelo desafio de deslocamento para os eventos: "Temos dificuldade de que a parte norte da região e o Mato Grosso participem mais ativos de encontros de formação. Mas temos sonhado e trabalhado para que a expansão da nossa região torne os grupos mais fortes e animados para fazer a missão e auxiliar cidades universitárias vizinhas ou próximas para que também tenham formação e iniciem seus grupos de estudo bíblico".