Ainda precisamos falar de arte na ABUB