Recursos

Como dirigir uma reunião

Mais cedo ou mais tarde, a maioria dos abeuenses ativos tem a oportunidade e privilégio de dirigir uma reunião do grupo local. Apresentaremos aqui algumas dicas:

 

1) Preste atenção para a diferença entre uma reunião para cristãos e outra para não-cristãos. Os objetivos são diferentes, e o tipo de linguagem, a recepção, o tempo gasto, e o tipo de música (se houver), também terão que ser diferentes. Pense se o estilo que você vai adotar para dirigir a reunião é apropriado, se atrai as pessoas, se elas terão facilidade para entender o que está acontecendo e se sentirão à vontade.

 

2) Para dirigir reuniões de estudo bíblico indutivo, consulte os livros Estudos Bíblicos Indutivo de Antonia Leonora van der Meer, e Como Começar um Estudo Bíblico com os Vizinhos de Kunz e Schell, ambos da ABU Editora.

(3) Reuniões de oração às vezes são maçantes (por mais chocante que isso possa parecer). O dirigente, sem inibir as pessoas ou abafar o Espírito, pode melhorá-las, através da divisão do tempo para vários tipos de oração (louvor, gratidão, confissão, purificação, intercessão por isto, intercessão por aquilo, etc. ...). Cada parte pode ser introduzida por uma leitura bíblica e cântico apropriados, ou até por uma pequena meditação.

 

4) Reuniões de liderança do grupo e/ou de planejamento do programa. O dirigente deve preparar uma pauta antes e submetê-la a comentários e acréscimos no início da reunião. Deve haver uma pequena devocional no início, ou pelo dirigente ou por uma pessoa indicada previamente por ele. Em seguida, um tempo de oração, buscando a face de Deus e sua sabedoria. Pode ser bom, também, orar após cada item da pauta. Quanto à questão de terminar ou não a pauta, isso depende da importância relativa dos assuntos e da possibilidade de se encontrar novamente num futuro próximo. Caso seja importante terminar, o dirigente terá que insistir em algumas "regras parlamentares" do tipo das que têm sido usadas nos Conselhos Regionais e Conselho Diretor da ABUB. Mesmo que a reunião seja mais informal, o dirigente é responsável pela passagem de um assunto para outro, e pela convocação de uma votação (no caso de um assunto deliberativo), e não deve deixar que os presentes se repitam demasiadamente.

 

5) Reuniões evangelísticas ou de crescimento (alguns pontos aqui se aplicam aos tipos anteriores também):

a) crie um ambiente agradável e aconchegante;
b) coloque as cadeiras na formação desejada antes de iniciar a reunião;
c) verifique que alguém esteja recepcionando as pessoas desconhecidas;
d) sempre tenha informações sobre a ABUB e o grupo local disponíveis, bem como livros apropriados à venda;
e) comece e termine mais ou menos na hora (as pessoas se consideram muito ocupadas);
f) seja flexível (a clientela pode não ser a esperada!);
g) fale audivelmente, com entusiasmo (embora sem artificialismo); não comece dizendo "bem, vamos começar, né ... esse estudo aqui é muito longo e complicado...";
h) olhe os rostos das pessoas quando fala, não seus pés. Olhe para todos os lados onde as pessoas estão, não só para um lado;
i) preste atenção quando alguém está falando, mostre interesse (mesmo não concordando), valorize suas contribuições, inclusive com a linguagem do corpo (uma postura que mostre interesse e não indiferença ou censura);
j) verifique que todos os participantes saibam o que vão fazer e quando, e que saibam quanto tempo eles têm.

(6) Reunião com preletor convidado:

a) o preletor deve ser convidado com bastante antecedência;
b) ele deve saber exatamente o que se espera dele: qual o título e assunto (alguns títulos não são auto-explicativos) da palestra ou estudo; de quanto tempo dispõe; da composição e tamanho aproximado da platéia que se espera; se deverá abrir para perguntas; etc.
c) ele deve ser relembrado um ou dois dias antes;
d) deve ser agradecido publicamente no final da reunião e receber uma carta de agradecimento depois;
e) quando apropriado, as suas despesas devem ser pagas e carona oferecida.