Notícias

Expectativas, a semana e após. Ainda sobre o CFERA...

ABUenses contam a experiência de participar de um encontro regional da ABUB pela primeira vez.

 O CFera começou com um convite da minha amiga Mariana Diniz, e foi recebido na minha mente como uma oportunidade de aprendizagem e um pouco de descanso, mas acontece que foi muito mais do que aprendizagem e nada de descanso!
      Os primeiros momentos começaram já com a leitura dos livros e escrita das resenhas, e só de parar pra ler um bom livro sobre Cristo no meio de todo o cotidiano, foi libertador. Quando cheguei na Igreja que iríamos ficar, não dava pra resistir a paz e simpatia de cada pessoa, no primeiro dia, já fiquei amigo de uma galera... Participar das exposições, momentos reflexivos, oficinas, estudos bíblicos e palestras, foi edificador, poder compartilhar com quem sabe muito e pouco, quem tem sede de aprender e também de ensinar, ativar toda a nossa capacidade de raciocinar no que Deus representa para nós. Durante toda a semana, todos me impressionaram, sem deixar ninguém de lado, com o tamanho amor, respeito, consideração, em buscar unidade, e sempre pensar um no outro. Cada pessoa conseguiu me marcar e me ensinar de alguma forma, e cada um mostrava que o poder de Jesus ainda vive em nossos corações, que o seu Reino ainda está sendo construído. No final, ninguém resistiu a emoção da despedida, a final, um corpo estava sendo cortado temporariamente, mas a esperança de que viveremos lado a lado eternamente nos confortava, e a alegria de ver o amor de Deus nos seus filhos nos enchia de paz.
     Tudo isso nos abriu os olhos para como tudo lá fora estava tão diferente do que vivíamos naqueles dias. Pude refletir nas minhas relações com a minha família, amigos, igreja, em como me faltava praticar o amor, o serviço, a caridade, e em como precisava retomar a missão: A salvação e senhorio de Cristo precisam ser espalhados...com mais ênfase, o mundo necessita de Jesus como o homem que tem sede por água, e a nós foi dado o privilégio e responsabilidade de pregar a Palavra... não por mérito nosso (como Jesus disse aos fariseus que se o povo se calasse, as pedras iriam clamar), mas por misericórdia e graça de um Deus de amor.
Após algumas semanas que voltei do CFera, já passei por momentos difíceis, lutas que parecem infindáveis, falhei é claro, mas absolutamente nada me separa do amor de Cristo, e enterrando o meu próprio "eu" a cada dia é que eu vivo mais, e vivo porque Cristo vive em mim. Pela graça de Deus, consegui mudar muitas coisas no meu coração e nas atitudes falhas, e já vejo a missão sendo praticada na minha vida. Ainda me falta muito, mas o fardo é mais leve a cada dia, leve e momentânea minha tribulação, o Senhor é o meu motivo e tudo o que eu preciso.

 

Luiz Fernando Nantes Braz Riquelme. ABS, Brasília.

 

 

Saudações aos queridos abuensses,

Inicialmente, quero expressar a minha gratidão a uma irmã em Cristo da Igreja Presbiteriana do Planalto, Mariana Diniz, pelo convite ofertado a mim para participar de umas das conhecidas e enriquecedoras reuniões da Aliança Bíblica Universitária (ABU). O convite foi para o Curso de Férias (CF) que se realizaria em uma igreja local, aqui mesmo em Brasília.

             Fiquei feliz em saber que eu poderia participar de alguma programação relacionada ao Reino de Deus nas férias. Não houve resistência por parte dos meus pais, aliás, fui até incentivado por eles, o que facilitou sobremodo a minha participação no evento.

            Assim que cheguei ao local, fui bem recebido por todos. As instalações físicas eram satisfatórias e aconchegantes. Estava muito à vontade na companhia de pessoas que partilhavam da mesma fé. Embora eu estivesse sobrecarregado com as minhas atividades escolares e um pouco reflexivo a respeito de alguns debates realizados em sala de aula, os quais  inclusive envolveram questões de fé, pude ser agraciado por esse encontro que muito me edificou, reforçando convicções pessoais  acerca da vida cristã. 

            Foi um tempo excelente. Compartilhamos preocupações e dúvidas sobre temas que frequentemente estão sendo debatidos, o que foi feito a partir de experiência de pessoas que passaram pelo mesmo dilema. Aprendi muito com eles e pude desfrutar de um tempo maior com o Senhor.

            Como resultado, estreitei mais os meus laços com o Senhor e saí mais capacitado e feliz por saber que ainda existem pessoas que defendem e creem na palavra de Deus, apesar de muitas resistências do mundo que nos cerca.


 Henrique Medeiros de Lima. ABS, Brasília.

 

 

Não vou mentir. Como a maioria dos adolescentes, eu achei que oito dias eram muita coisa, meio que desnecessário, mas quebrei minha cara porque essa semana foi a mais rápida da minha vida. Fiquei com medo de haver "panelinhas" entre as pessoas que participavam por mais tempo e eu ficar de fora o CF inteiro, mas fui porque tinha alguns amigos lá que me convidaram. Chegando lá, que na verdade não era tão longe (15 minutos da minha casa), me encontrei com um amigo na entrada, o qual me levou para o quarto e me explicou como eram os horários, descobrindo assim que eu cheguei um dia atrasado, mas não deu problema. Os quartos eram cheios de colchões no chão, toalhas e roupas nas janelas, bem descontraído, o que já me aliviou um pouco porque minha amiga que me convidou dizia constantemente: "Não é um acampamento, é um curso de férias, mais focado na Palavra.", então obviamente, idealizei um lugar arrumado, todos de terninho, mas quem eu queria enganar? São jovens e adolescentes assim como eu! Não me lembro que horas eu cheguei exatamente, na verdade, não lembro de muita coisa xD. Porém, eu lembro de todos conversando com todo mundo, sem aquela divisão definitiva que eu conhecia, e eu achei demais! Não importava onde, quando e com quem eu conversasse, me sentia acolhido como fosse amigo deles desde sempre, foi o que mais me marcou: as pessoas. A cada dia foi ficando mais difícil de acordar, porque toda a noite o quarto dos meninos ficava conversando até bem tarde, achei que isso acabaria quando eu e mais uns 5 amigos mudamos para o quarto do lado, não para dormir, mas para terminar uma partida de WAR que não acabava nunca, mas foi aí, que realmente fiz boas amizades, dormir pelo menos duas vezes mais tarde do que no outro quarto, rir como nunca e falar daquilo que não se fala geralmente. Tivemos palestra e louvor todos os dias, adorei as músicas, apesar de eu conhecer algumas, mas eram de versões diferentes então, eram outras músicas. As palestras foram demais também, seriam mais ainda se eu não precisasse me concentrar em não dormir porque dormi tarde na noite passada ,foram sobre Gênesis, que aliás, era o tema do CF que esqueci de comentar, discutimos sobre as nossas bases de fé. De manhã, depois do café, tínhamos EBI(Estudo Bíblico Integral, se não me engano), em um grupo de 7 pessoas, fizemos estudos pré-determinados pelo livro(não a bíblia, a apostila do CF). Eram 7 estudos, logo, eu fiquei com um deles e com o meu leve desespero, comecei me preparar para o minha vez uns 3 dias antes. Correu tudo bem, aprendi nisso tudo que Gênesis não é tão simples como nós ensinamos para as crianças, fiquei com dúvidas bem pertinentes, mas que foram respondidas pelos colegas de quarto mais sábios que eu já vi na vida, além de me darem dicas e soluções após o meu desabafo na última noite sobre a minha vida pessoal. Nos momentos livres, ficamos conversando ou jogando alguns jogos de mesa, o que me lembrou que eu ensinei um chamado Resistência, o pessoal gostou, jogamos bastante. Na penúltima noite teve Sarau, alguns cantaram, outros leram, outros tocaram, atuaram. Todos, sem exceção foram ótimos. Resolveram fazer o Sarau na quadra, e logo nesse dia, fez um frio inexplicável, todo mundo de casaco, coberta. Mas isso não impediu a realização do evento. Entre uma apresentação e outra, teve o correio elegante, era quando liam os bilhetinhos que você recebeu e eu recebi um, na verdade, três, mas eu já tinha tirado do meu envelope antes disso, bilhetes de boes vindas, abraço, um ato simples que significa muito. Então, o último dia chegou, tivemos 40 minutos a mais de sono, fizemos Ceia, o pastor da igreja agradeceu a nossa presença lá e oficialmente acabou. De resumo, o que eu posso dizer, é que o CF são oito dias, que passam tão rápido como dois, onde se conhece pessoas extraordinárias, fortalece sua fé nEle e pratica, mesmo que na marra, o que é comunhão. Por último, queria agradecer pela chance que eu tive de estar lá e de me permitirem escrever aqui, desculpem os erros. Até mais, fiquem com Deus.

Luís Guilherme, ABS, Brasília.


 

 

De súbito, poucos dias antes de acabarem as inscrições para o Curso de Férias (CF) da Região Centro-Oeste foi colocado em meu coração um enorme desejo de participar. Sem recursos para ir e sem saber ao certo como conciliar o fim de semestre com a leitura dos livros e a elaboração das resenhas, fiz minha inscrição. Fiz resenhas, fiz os exercícios de EBI, consegui o dinheiro. Poucos dias antes de ir ao CF, bateu aquele desânimo. Vou ou não vou? Eis a questão. Sexta feira, dia 18/07/15 resolvi não ir. Meu pai iria a Brasília no fim da tarde de domingo, até domingo eu decidiria se iria ou não. Domingo a tarde, minha resposta foi sim.  

No salão onde a maior parte da programação acontecia havia um versículo em letras bem grandes que chamou minha atenção: “Tornai-vos pois praticantes da palavra e não somente ouvintes” Tiago 1:22. Fiz uma breve oração. “Senhor, abra meus ouvidos e meu coração para que eu ouça e pratique”. Com o coração aberto ouvi a primeira Exposição Bíblica daquele dia que foi ministrada pela obreira Jéssica Kelly. Não poderia ter começado melhor! 

O primeiro Curso de Férias da ABU de fato é inesquecível! Sempre ouvi outros abuenses falando sobre o CF e como são dias edificantes. Bem, este ano foi minha vez de vivenciá-lo. Por meio das exposições pude conhecer de forma mais profunda os textos estudados. Nos EBI’s fui edificada ao falar e ao ouvir. Nos momentos de silêncio reflexivo, aquietei a alma e pude praticar a disciplina espiritual da meditação, ali me matriculei como aprendiz da oração contemplativa. Lembrei-me do patriarca Isaque que saíra a meditar no campo, ao cair da tarde (Gn. 24.63) e esta é uma prática que tem perdurado em minha rotina pós-CF. Nos estudos das bases de fé da ABU pude aprofundar também as bases da minha fé.  

Ah! A comunhão! Como foi bom passar uma semana conhecendo e estar em comunhão com outros abuenses, fazer novas amizades, participar de gincanas, brincadeiras, discussões, passeios, ter momentos de agenda pessoal e participar do tão famoso sarau. Esta oportunidade de estar em contato com diversos irmãos da fé que compartilham o mesmo desejo de cumprir a missão estudantil, estudante alcançando estudante, foi a meu ver um tremendo privilégio. O CF foi um renovo para mim. Novos aprendizados. Novas amizades. Nova visão. Mal posso esperar para participar de um IPL!  

            Meu anseio é que mais estudantes possam participar deste movimento evangelístico, que proporciona momentos de edificação, de comunhão, de reflexão, e nos incentiva a compartilhar nossa fé em nossas universidades, a estudar a Bíblia em sua profundidade, a adquirir disciplinas espirituais que fazem a diferença! No CF ouvi, e desde então tenho buscado praticar. Que Deus continue a nos abençoar! 

 

Liliane Nascimento Freitas. ABU, Goiânia.

 

lnf.liliane@gmail.com

 

 

Escrever sobre o que foi o CFERA este ano é uma missão quase impossível, é muito difícil encontrar palavras para descrever o que aconteceu naqueles sete dias. 

A verdade é que foi uma provinha do céu aqui na Terra. 
Deus é tão maravilhoso e soberano que além da salvação eterna, Ele nos proporciona coisas assim, momentos assim como o cfera para podermos ver como ser um cristão vai muito além do que podemos imaginar. Ver como a unidade vai muito além das denominações e alguns pensamentos diferentes, ver Cristo estampado no sorriso de várias pessoas que nunca tinha visto antes. 
Poder ver o sonho da ABS Brasília crescendo encheu meu coração de animo e força pra dar o meu melhor pra missão que me foi guardada. Conversar com Deus nos 
momentos reflexivos foi uma experiência espetacular, onde vi a grandeza de ter intimidade com o Pai, e de como Ele nos ajuda e nos orienta quando pedimos ajuda. 
As exposições e ebi's abriram meus olhos pra coisas que eu nunca tinha pensado e me ajudaram muito a entender a forma que Deus vem agindo desde a criação com um plano de redenção para o homem. 
Se eu fosse falar de cada detalhe, e de como cada agenda pessoal e cada simples conversa me ajudaram e mexeram comigo seriam muitas linhas. 
O ERA foi demais, muitas amizades estreitadas e conversas importantes sobre o futuro da ABS na CO, fiquei muito feliz em ver os abuenses nos apoiando e dizendo que "A ABS não é uma preparação pra ABU, a missão é agora, na escola." 
Sou muito grata a Deus por cada momento que passado ali, coisas para levar pro resto da vida.

"Portanto, já que estamos recebendo um Reino inabalável, sejamos agradecidos e, assim, adoremos a Deus de modo aceitável, com reverência e temor." 
Hebreus 12:28

 

Catharina Oliveira. ABS, Brasília.



Nenhum Comentário

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
O teste abaixo serve para verificar se você é um ser humano e para prevenir submissões automáticas de spam.