Notícias

Pensando em Contribuir...

Uma reflexão bíblica sobre doações

Esse texto é um convite. Vamos pensar biblicamente sobre finanças e contribuições?  É sempre difícil tocar nesse tema no meio cristão, mas não podemos fugir da realidade de que a Bíblia trata esse assunto de maneira clara; e que, por isso, precisamos lidar com essa questão. É indispensável que o dinheiro faça parte do nosso dia a dia, mas a pergunta principal é: o dinheiro participa da nossa vida como um servo ou como um senhor?

A resposta dessa pergunta traz uma consequência lógica: se o dinheiro é senhor, você é escravo dele; mas se o dinheiro é servo, você é senhor dele. Como cristãos não podemos ter outro senhor além de Deus (Lc 16:13); então o convite é para refletirmos sobre quem é o nosso senhor!

Ser cristão significa que Cristo é o Senhor das nossas vidas; então, tudo deve estar submetido a Ele, inclusive nossas finanças. Por mais que isso possa ser um assunto polêmico, precisamos avaliar quanto dos nossos recursos são destinados para algo que não seja de interesse particular e egoísta. Além disso, precisamos pensar em doação como exercício de uma disciplina espiritual (2Co 8:7). Cristo é Senhor dos nossos pertences, e essa realidade precisa ser prática.

O Apóstolo Paulo, nos primeiros versículos no capítulo 8 de 2 Coríntios, ensina preciosas lições sobre as contribuições aos santos. Podemos aprender com ele como lidar com esse assunto de forma prática. Abra sua Bíblia e acompanhe as perguntas:
- Por que devemos doar? Nossa motivação nasce na própria Graça de Deus (2Co 8:9).
- Como e quanto devemos doar? Com alegria e generosamente (2Co 8:2), livres de motivações egoístas.
- Com que espírito devemos fazer doações? Voluntariamente e com Liberalidade (2Co 8:3). Não é preciso que pressionem um cristão a fazer isso; ele deve contribuir naturalmente, pois o Espírito que atua em seu coração o impulsiona a fazer isso.
- É necessário ainda que contribuamos com Boa Vontade (2Co 8:12), cheios de amor a Deus e ao nosso próximo, pois a boa vontade tem sua importância comparada a da própria oferta.
- Por último, é necessário pensarmos na oferta como um Privilégio (2Co 8:4). Por mais que isso soe paradoxal, na verdade não é. Só conseguimos pensar na doação como oposto a um privilégio quando nosso coração está cheio de amor ao dinheiro, o que é biblicamente condenável (1Timóteo 6:10).  Contribuir com finanças é uma oportunidade inigualável que o Senhor nos dá para participarmos da sua Missão, oferecendo parte dos recursos que Ele mesmo nos deu. É um verdadeiro privilégio saber que somos convidados a investir nossas riquezas em algo tão glorioso.

A Bíblia ainda nos diz que a quantidade que podemos doar não é o que importa de fato, mas sim o motivo que nos leva a ofertar; mesmo que seja pouca a nossa contribuição, a mesma tem muito valor para o Senhor (Lc 21:3).

É maravilhoso saber que o próprio Deus nos deu a oportunidade de servi-lo com nossos bens. Portanto esse texto não é um apelo, e sim um convite.

Thais Kétura, ABU Mossoró

Nenhum Comentário

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
O teste abaixo serve para verificar se você é um ser humano e para prevenir submissões automáticas de spam.