Recursos

O QUE APRENDI COM O MOVIMENTO MISSIONÁRIO ESTUDANTIL ...

 

Quando foi-me pedido para escrever algo que aconselharia e/ou incentivaria aos nossos irmãos de movimento, duas palavras me veio à mente.

1. Resiliência.

“Resiliência é a capacidade de uma pessoa transcender nos obstáculos, nos embates, nas adversidades e nos conflitos que a vida apresenta – o inesperado”. (BARBOSA G. (2007) Resiliência? O que é isso).

Durante a nossa caminhada cristã, ao mesmo tempo, da vida, nós nos debatemos com várias dificuldades, anseios, questionamentos e desleixos que nos leva a cair, desistir ou abandonar o que é mais importante. Quando entramos na faculdade/universidade estamos em um período de transição do mundo “adolescente-secundarista” para o mundo “jovem-adulto-universitário-trabalhador”. É uma mudança drástica, onde você é puxado para várias responsabilidades e questionamentos. Graças temos por termos nossas famílias e igrejas para nos dar apoio. E quando não temos?

A resiliência é uma estrutura psicológica que construímos ao longo da vida, onde desenvolvemos a nossa maturidade para lidar de forma positiva com situações adversas. Essa estrutura além de interna também é externa, com os grupos de apoios que criamos.

O movimento é um grupo de apoio nas universidades. Porque? Pois lá encontramos amigos e encontramos Cristo dentro de nossas próprias universidades. Sim amigos. Não colegas, amigos. Pessoas que tem o mesmo contexto que o seu, passam pelas mesmas dificuldades, estão abertas a apoiar, ajudar e também buscam se orientar no dia a dia com a Palavra. E não estou falando isso só para quem faz parte das reuniões nas universidades ou ainda não faz parte, mas também pros atuantes do movimento. Sim, vocês também. Esse é o meu conselho. Olhem para o movimento como um grupo de apoio, olhem para o movimento com resiliência e desenvolva sua resiliência.

Nós passamos por dificuldades. Temos grandes desafios. Temos questionamentos. Mas temos uns aos outros para superarmos de forma positiva tudo isso. Além disso, temos algo mais precioso para o qual lutamos: Que é manter acesa a Palavra de Deus em nossos corações, em nossos ciclos de amizade e nos ambientes em que vivemos.

Seja resiliente e desenvolva sua resiliência.

 

2. Empatia.

“Ser empático é ver o mundo com os olhos dos outros e não ver o nosso mundo refletido nos olhos dele”.  Carl Rogers.

É a capacidade e vontade de compreender a ação, sentimento e a vontade do outro sem que seja imposto seus próprios conceitos, sentimentos. É olhar com o olhar do outro, retirando a si mesmo e deixando ver como o outro ver. Isso nos proporciona compreender e se conectar, vincular-se, criar o laço invisível da fraternidade, retirando o pré-julgamento.

Compreender não é o mesmo que concordar. Jesus compreendeu nossa condição caída, incapacidade nossa de chegarmos ao Pai e se sacrificou por nós, tornando-se ponte, conselheiro e guia. Mas isso não diz que Ele concorda com o que fazemos inerentemente contra Ele, contra nós mesmos e contra o biodiversidade que nos deu.

Igual a Cristo devemos ser. Se é difícil? Completamente difícil. Mas é possível. Conseguiremos o 100%? Nunca. Lembre-se, somos caídos. Mas Graças damos ao Espírito Santo que nos capacita. A empatia nos dar a capacidade de compreender o tempo do outro, ação e sentimento do outro te dando estratégias para saber quando, como e onde ajudar o próximo e lidar com ele. Assim devemos fazer em todos os âmbitos sociais de nossa vida. Nós precisamos disso. Dentro e fora do movimento. A fraternidade nos dar a capacidade de transferir o melhor de nós para o outro e vice-versa. Nos dar a capacidade da harmonia, do apoio, do encorajamento, do ombro amigo e do ir fazer.  

Nós lidamos com todo tipo de pessoa, com cultura, contexto, personalidade e aflições diferentes. Quando colocamos nossos conceitos e o nosso próprio olhar estamos colocando nosso contexto de vida, personalidade e sentimentos sobre a pessoa. A nossa “sombra”. E deixando de lado tudo isso que é relevante do outro.

Crie laços, crie fraternidade, seja amigo, tenha empatia pelo próximo.

Ame.

P.S.: Obrigado pelos 5 anos de movimento, obrigado por me ensinarem isso. Ainda estou aprendendo.

Victor Hugo Louzeiro de Lima

Presidente Local de São Luís, Maranhão.