Notícias

Amarelou: Grupos locais respondendo em amor no combate ao suicídio

Estudantes compartilham sua esperança e relevância no contexto estudantil

O mês de setembro é simbolicamente amarelo porque infelizmente a taxa de suicídios no país tem aumentado muito nos últimos anos, e a taxa entre jovens de 15 a 29 anos se mantém acima da média geral. Esta realidade há tempos tem levado cristãos sinceros ao combate contra esse mal e não foi diferente este ano entre os grupos locais da nossa região.

Em Campinas (SP) a galera colocou cartazes de esperança pelo campus daEstudantes de São Carlos Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e o campus 2 da Pontifícia Universidade Católica (PUC). Além disso, o grupo organizou, em conjunto com o grupo universitário Crer e Pensar, um bate-papo sobre o assunto com dois psicólogos (antigos abeuenses) na Unicamp e com uma médica na PUC.

O grupo de Franca (SP) preparou estudos bíblicos sobre o tema e colou cartazes nas faculdades. Já o de São Carlos (SP) também realizou estudos bíblicos a respeito do assunto e toda uma programação com rodas de conversa e reuniões de oração. Além disso, deixaram algumas caixas pelos campus para que fossem depositados pedidos de oração.

                                                                                        Foto: Estudantes de São Carlos na programação do setembro amarelo.

Em São Paulo (SP), o grupo da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (USP) colocou duas caixas de oração pelo campus e tiveram dois estudos com convidadas. Segundo eles, o resultado foi maior do que o esperado. Nas caixas, encontraram cinco elogios, um desabafo/oração, duas críticas e quarenta e quatro pedidos de oração. 

 

Confira abaixo o depoimento de Diego Simplicio, da Escola de Engenharia de Lorena (EEL) da USP, participante da ABU Lorena (SP):

"Tudo começou em uma reunião que o nosso grupo local da Aliança Bíblica Universitária (ABU) fez no início do segundo semestre de 2017, a qual serviu para tratarmos de assuntos administrativos, organizacionais e sobre os eventos dos meses vindouros. No entanto, ao final do encontro o rumo da conversa começou a mudar, de uma hora para outra estávamos começando a refletir sobre o nosso próprio grupo, a ABU Lorena (SP). Percebemos que estávamos enfrentando alguns problemas e dificuldades, pois parecia que havíamos nos tornado somente um grupo de pessoas que se reuniam em uma roda às terças, quartas e quintas-feiras para ler um texto e bater um papo. Nossos estudos bíblicos na faculdade estavam sofrendo baixas constantes, nossos encontros estavam se tornando apenas parte da rotina, cada vez mais nos distanciávamos e não estávamos conseguindo transmitir o Reino de Deus para os nossos amigos. Evidentemente isso nos fez refletir e fazer as seguintes perguntas...

'Será que estamos atingindo o nosso objetivo dentro do campus?'

'Por que estão indo tão poucas pessoas aos nossos estudos bíblicos?'

A partir destas indagações percebemos que o problema estava ‘dentro de casa’. Precisávamos voltar a nos unir e só então poderíamos voltar a impactar o ambiente universitário. Foi então que decidimos estabelecer união como tema de todas as atividades da ABU Lorena ao longo do segundo semestre de 2017.

Acredito que esse momento foi um presente que Deus colocou em nossas mãos, pois a partir desse dia se iniciou uma total mudança. A cultura de união se estabelecia em nosso grupo!

Antes do mês de setembro tivemos uma reunião cujo tema era 'Aprendendo a ser um com Jesus', uma vigília sobre o principal mandamento de Jesus: 'Ame o seu próximo como a si mesmo” (Mateus 22:29). E também sobre os seguintes versículos, que para mim resumiram bem o nosso objetivo:

'Dei-lhes a glória que me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um:

eu neles e tu em mim. Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste.' - João 17:22,23

Bom, mas e o setembro amarelo? Calma… Já cheguei nessa parte da história.

No Curso de Férias (CF) em Campo Limpo Paulista (SP), algumas pessoas do grupo local de Lorena tiveram contato com a oficina 'Meus sentimentos e a Bíblia', que tratava especificamente do tema depressão e consequentemente sobre suicídio. Movidos pelo clima do CF e também pelo momento que o nosso grupo estava passando, nossa comissão de comunicação teve a genial ideia de mostrar a ABU Lorena como um movimento disposto a servir aos estudantes fazendo uma intervenção na faculdade. Colaram uma cruz enorme na parede do pátio com cartazes pedindo para as pessoas depositarem ali seus medos, angústias, problemas, dificuldades, dúvidas e ansiedade. 

Os resultados foram surpreendentes. Os estudantes realmente aderiram à ideia e de fato depositaram na cruz tudo aquilo que lhes pesava. Tivemos algumas respostas com dilemas enfrentados por todos nós, estudantes:

'Vou conseguir um estágio?'

'Estou no curso certo?'

'Tenho medo de estar perdendo tempo com minha família e amigos.'

'Vou sobreviver a tantos anos na faculdade?'

'Minha vida tem sentido?'

'Andar sozinha na rua me dá medo.'

'Será que vou vencer na vida?'

'Vou ficar sozinha pra sempre?'

'Depressão na EEL'

Deixamos a cruz no pátio todo o mês de setembro e fizemos uma reunião para conversarmos a respeito de depressão e suicídio, baseando-se na oficina do CF. Ao final do encontro pegamos as frases escritas na cruz, lemos cada uma e juntos, com as mãos dadas, começamos a orar por aquelas vidas, pela nossa universidade, pela ABU, pelo nosso grupo local, pelo nosso país. Foi incrível, pois parecíamos um exército pronto para uma batalha. Aquele momento foi bem representativo, pois foi a prova de que estávamos unidos buscando um único objetivo.

Depois que acabou o mês de setembro, fizemos um post pra galera ver que oramos por elas e que estamos dispostos a servi-los com ajuda e apoio. Ainda estamos colhendo os frutos dessa intervenção e acredito que Deus reserva grandes coisas para nós a fim de que possamos escrever novas linhas na história da ABU."

 

Que o depoimento do grupo de Lorena e as intervenções dos grupos de Campinas, Franca, São Carlos e São Paulo levem-nos a nos prostrarmos diante de Deus pedindo: “Senhor, ajuda-me a amar”.

 

 

Confira abaixo mais fotos dos acontecimentos e ideias dos grupos:

 

Foto: Organizadores da conversa sobre ansiedade, depressão e suicídio na Unicamp com os psicólogos Maria Becker e Ageu Lisboa.

 

Fotos: Caixas para depositar pedidos de oração e desabafos em campus universitários de São Carlos e São Paulo.

 

 

 

 

Fotos: Modelos de cartazes espalhados pelos campus universitários em Franca e Campinas.

Nenhum Comentário

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
O teste abaixo serve para verificar se você é um ser humano e para prevenir submissões automáticas de spam.