Notícias

Desafios da universidade brasileira

Alexandre Brasil fala sobre a necessidade de crescermos no amor de Deus na luta para superar desafios

(Texto de Frederico Rocha e Erica Neves)

O sociólogo e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Alexandre Brasil, que  está envolvido com a ABUB desde a década de 80, começou sua fala descrevendo a riqueza e a diversidade de relacionamentos que surgem e permanecem no movimento.

Segundo ele, esses são os seguintes desafios enfrentados pela universidade brasileira no contexto atual:

 

1-      A universidade tem sido um espaço de reprodução das desigualdades

2-      A universidade tem sido um espaço de educação ineficiente.

3-      A universidade tem sido um espaço de perda de valores. Citando Edgar Morin ele refletiu sobre a complexidade do papel da universidade no que se refere a esses desafios. Ele propõe pensar na "equidade, qualidade e sanidade" como prováveis respostas a esses problemas.

Equidade:                               

“Temos direito a reivindicar a igualdade sempre que a diferença nos inferioriza e temos direito de reivindicar a diferença sempre que a igualdade nos descaracteriza”. Boa Ventura de Souza Santos

Alexandre Brasil apresentou alguns dados mundiais sobre a desigualdade de acesso à universidade. Comparando Brasil e Coréia, os dados mostram como o nosso país ainda é muito excludente.

Alexandre também apresentou uma descrição das desigualdades raciais e regionais na educação brasileira, tanto no ensino básico como na universidade. “O Brasil é um país extremamente racista! A realidade discriminatória e excludente no Brasil precisa nos tocar. O que se fala sobre o Reuni, o Prouni, as cotas na ABU? Qual a posição da ABU? O que a ABU pensa sobre transporte estudantil, sobre o financiamento estudantil? Nós somos um movimento estudantil!” .

Qualidade:

“A qualidade que eu quero é aquela que promove a vida! Tenho pavor a discursos de qualidade que colocam eficiência, produtividade como ideais essenciais à vida humana. Henri Nouwem diz que precisamos de fecundidade e não produtividade”.

Sanidade:

Discussão sobre os “determinantes sociais da saúde”. A ironia de programas que prescrevem hábitos para uma vida saudável em 10 hábitos. A opressão, exploração de pessoas pobres que vivem uma impossibilidade de desfrutar uma qualidade de vida.O aumento do uso de álcool, tabaco e drogas ilícitas entre os universitários brasileiros.

Alexandre falou ainda sobre a necessidade de crescermos no amor de Deus na luta para superar esses desafios. “Como ABUB cresçamos no conhecimento e no amor de Deus. A olhar para aqueles que vivem suas crises existenciais, que tentam e buscam em outros espaços respostas para as suas vidas”.

Reação à palestra:

Logo após a palestra de Alexandre Brasil, Rodolfo Silva, ex-assessor de diaconia e Juliana Fonseca, estudante de medicina em Montes Claros, foram convidados para o momento de “ressonância”.

Rodolfo falou sobre a necessidade de se pensar a vivência da universidade como um desafio à missão. “Como professor querendo desempenhar uma prática progressista me vi sendo extremamente autoritário, repetindo modelos que eu rejeitava.”

Fez ainda uma reflexão sobre as nossas prioridades, “Que qualidade de estudantes nós somos? Qual a nossa agenda como estudantes? Apenas a sala de aula, ou uma vivência integral com engajamento e compromisso?”.

Juliana falou sobre a sua experiência como estudante de medicina envolvida em projeto de extensão na universidade em Montes Claros e afirmou que a atividade de extensão deve ser encarada com prioridade, como oportunidade de servir integralmente à universidade, à sociedade, à Deus.” O nosso objetivo é ter sucesso, sermos os melhores estudantes de todos ou de fato queremos trabalhar para o bem em nome de Cristo. Como vamos amar as pessoas, vivenciarmos a missão integral em nossa vida se enquanto estamos sendo formados na universidade não fazemos isso?”

Nenhum Comentário

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
CAPTCHA
O teste abaixo serve para verificar se você é um ser humano e para prevenir submissões automáticas de spam.